Menu

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Resenha 26# Maze Runner: correr ou morrer

Olá pessoal, hoje to aqui pra falar sobre uma das minhas sagas favoritas: Maze Runner do autor James Dashner. Hoje postarei a resenha sobre Maze Runner: correr ou morrer, mas em breve postarei sobre os demais livros da trilogia.

O que falar sobre esse livro? É simplesmente maravilhoso.




Sinopse:
Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho. Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar – chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito.




                                Minha opinião: (na verdade tem um pouco da história ai também *-*) 

       Minha nota pra esse livro foi 9,5.
     Tive vontade de lê-lo logo depois que assisti o filme. Achei o filme maravilhoso, mas acabei descobrindo que o livro é bem melhor.
Tem uma história maravilhosa, em um universo distópico.

Maze Runner: correr ou morrer é narrado em terceira pessoa, porém do ponto de vista de um garoto de mais ou menos 16 anos que acorda numa espécie de elevador sem se lembrar de nada sobre seu passado apenas seu nome: Thomas.
Ao sair desse elevador Thomas se vê numa lugar fechado por muros chamado clareira, onde todos os habitantes são garotos, com a faixa de idade parecida com a dele. Ambos chegaram lá da mesma maneira que ele, lembrando apenas de seus nomes. E Thomas acaba descobrindo que os muros na verdade separam os “clareanos” de um enorme labirinto. Todas as manhãs os muros da clareira se abrem expondo o labirinto, e todas as noites se fecham. Lá dentro existem criaturas meio metálicas meio animalescas chamadas de Verdugos que caçam a noite. Ninguém nunca sobreviveu a uma noite no labirinto.
Juntamente com os garotos da clareira Thomas tenta desvendar o mistério por trás de quem os colocou naquele lugar, e em meio a isso tudo chega à clareira um novo membro, porém dessa vez é uma Garota. Com a chegada dela tudo começa a desandar, e alguns clareanos culpam Thomas e a garota, Teresa, por todas essas mudanças.
O que mais gostei nesse livro foi a maneira como os personagens foram construídos, eles reagem como humanos reais não como um personagem de ficção. É uma história carregada de suspense e ação, com capítulos curtos e com uma escrita bem fácil de ser entendida.
 Uma das coisas mais interessantes é a linguagem utilizada pelos membros da clareira, gírias como: mértila, trolho etc. Foi uma ideia que fez bastante sentido, como os garotos estão desligados do mundo la fora é normal que se comuniquem de uma maneira diferenciada. De inicio é estranho, mas me acostumei com facilidade (e às vezes até uso essas palavras).
O foco da história é sair do labirinto e descobrir sobre o passado e o que realmente significa a sigla C.R.U.E.L, que está em toda parte e que aparentemente tem a ver com tudo que acontece no lugar.
James Dashner não deixou a desejar, e a conclusão do livro deixa qualquer um curioso e ansioso pela continuação.

Então é isso pessoal, espero que gostem: deixem suas opiniões. *-*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário , adorarei responde-lo :)